O que é a Hipnose?

A hipnose é o desvio da faculdade crítica da mente consciente e o estabelecimento de um pensamento/sentimento seletivo e aceitável.” Dave Elman

A hipnose é um estado relaxado de concentração. É quando a mente subconsciente vem à tona e a consciência é afastada. Claro, isso é uma explicação muito básica e ocorrem processos muito complicados no cérebro antes e durante a hipnose, que, aliás, também podem ser visíveis por tomografia de emissão de pósitrons (PET). Todos e cada um de nós entra, pelo menos, 2 vezes por dia em hipnose. Pouco antes de acordar e pouco antes de dormir quando chegamos na fase alpha. Ela não deve ser confundida em qualquer caso, com sono ou até mesmo desmaiar, porque no sono não somos capazes de responder da mesma forma como isso é feito na hipnose. É, portanto, um estado completamente natural. Você sabe o sentimento quando você está totalmente focado e envolvido em um filme, ou se você percorre uma longa distância no carro e não se lembra de praticamente nada do caminho que percorreu? A hipnose é um estado natural e que costumamos experimentar várias vezes ao dia, sem realmente perceber, ou mesmo identificá-lo como tal. Existe um famoso ditado em Inglês: “There is no such thing as hypnosis – there only exists suggestion” (Não existe tal coisa como hipnose – existe apenas sugestão).

Utilizamos principalmente o Processo de Hipnoterapia OMNI o qual é baseado nos métodos de Dave Elman e Gerald Kein. Todos os métodos são baseados em processos orientados por resultados no menor tempo possível. O processo OMNI de hipnoterapia é o único do mundo certificado pelo ISO 9001.

O núcleo da hipnoterapia OMNI é a Regressão à Causa (R2C – Regress to Cause), que nada mais é que regredir a causa emocional que criou o problema, baseado na premissa que todo sintoma, realmente todos, tem um gatilho inicial. Uma vez achado, isso pode ser habilmente neutralizado e resolvido. Essa técnica desenvolvida por Dave Elman e Gerald Kein tem sido adotada por muitos outros institutos e hipnoterapeutas sem realmente entenderem e consequentemente sem aplicarem o processo exato de Dave Elman.